Rian Fontenele, Mário Sanders e Virgínia Pinho no Conversa com Artistas

A cada edição, um grupo de artistas participa do bate-papo com o público visitante do Espaço Cultural Unifor.




O projeto “Conversa com Artistas” acontece durante os sábados do mês de fevereiro. A cada edição, um grupo de artistas participa do bate-papo com o público visitante do Espaço Cultural Unifor.

A próxima edição recebe Rian Fontenele, Mário Sanders e Virgínia Pinho no Espaço Cultural Unifor para um bate-papo sobre o processo criativo de obras autorais que estão em cartaz na 20ª Unifor Plástica: Simultaneidades – A Arte com a Palavra.

O encontro acontece neste sábado (8), de 16h30 às 18h, com entrada gratuita. A iniciativa tem o objetivo de aproximar o expectador e o artista, de forma a democratizar a arte e torná-la mais acessível.

Convidados

Rian Fontenele
Nascido em Ubajara, Ceará, em 1977. Pintor, gravador e desenhista. Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Enquanto se dedica à pesquisa e estudo com linguagens diversas, como a gravura, a pintura e o desenho, estuda desenho livre com Cecília Castellini e xilogravura com Eduardo Eloy. Ainda nos anos noventa, faz viagem de estudo para Barcelona (Espanha), dedicando-se à gravura em metal, estuda desenho e história da arte. Dedica-se à pintura, participando de exposições nacionais e internacionais. Realizou a exposição Individual Hiatos, em Fortaleza. Essa mostra foi fruto do prêmio de melhor desenho da XIII Unifor Plástica, recebido em 2005. Em 2009, recebe o prêmio de melhor pintura também pela Unifor Plástica. Em 2014, participa do Circuito Caixa Cultural com a exposição A Restauração de uma Ausência. Vive e trabalha em Fortaleza.

Mário Sanders
Nasceu em Aquiraz, Ceará. Artista visual, trabalha com desenho, pintura, objeto e bordado. Destacou-se no meio artístico cearense com sua participação no grupo Fratura Exposta, movimento atuante na cena cultural de Fortaleza no final dos anos 1980, realizando exposições, instalações e happenings. Participou de diversas exposições, destacando-se as coletivas com o grupo Fratura Exposta, Exposição Internacional de Esculturas Efêmeras, Prêmio Pirelli de Pintura Jovem no MASP e 3 Artistas Cearenses no Sesc Paulista. Premiações no Salão de Abril (Fortaleza, 1985, 1986, 1988 e 2018), na VII Unifor Plástica (Fortaleza, 1986 e 2007), no 2° Salão Norman Rockwel do Desenho e da Gravura (Fortaleza, 1996), na 7a Mostra do Desenho Brasileiro (Curitiba) e no Salão de Arte Contemporânea de Pernambuco. Atualmente trabalha na Kraft Atelier Coletivo, onde produz seu trabalho e ministra cursos de desenho. Vive e trabalha em Fortaleza.

Virgínia Pinho
Artista visual e Mestra em Comunicação pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Desenvolve pesquisas sobre cinema e representações dos mundos do trabalho, memória e apropriação de imagens nas artes visuais e no cinema. Foi curadora da mostra “Harun Farocki: o trabalho com as imagens” (2017), realizada no Cinema do Dragão. Participou do Laboratório de Artes Visuais do Porto Iracema das Artes (2017), com a pesquisa “Isolamento Compulsório”. Realizou “A saída da fábrica Cione” (2016), premiado no 67° Salão de Abril de Fortaleza e no 8° Arte Pará, e “Miragem” (2014/2018), premiado no 25° Cine Ceará. Vive e trabalha em Maracanaú.

Carregar mais Posts Relacionados
Carregar Mais Por Erika Souza
Carregar Mais Em Artes Visuais

Sobre Erika Souza

A menina louca. Deixo essa definição, pois meu entusiasmo pode parecer loucura. Atuo com comunicação, eventos e desenvolvimento pessoal. Com o convívio a gente se conhece mais.

Últimas

Assine nossa newsletter e receba nossas novidades por email

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível. Leia nossa política de privacidade.

Instagram

Instagram has returned invalid data.

Siga-nos!