Dois filmes para você correr ao cinema: “Histórias Assustadoras para Contar no Escuro” e “Era uma Vez em… Hollywood”

IMAGEM | CARTAZ DO FILME

JÁ VI

Depois da aclamação com A Forma da Água, Guillermo del Toro está de volta aos cinemas como produtor do filme Histórias Assustadoras para Contar no Escuro, mas é o diretor do longa, André Øvredal, que dita o rumo que a história toma aqui, se afastando do tipo de fantasia de Del Toro ao mesmo tempo em que compõe uma narrativa cheia de nuances e referências vintage.

Com um elenco competente que não brilha em momento algum, porém que compreende bem seus personagens, a história gira em torno de um grupo de adolescentes que descobre um livro pertencente a Sarah Bellows, uma garota problemática que mantinha um mau relacionamento com os pais. Eles a trancaram num porão, e lá ela escreveu um livro repleto de histórias macabras. As histórias do livro começam a se tornar reais. Anos mais tarde, os amigos precisam evitar que esses contos continuem se tornando realidade.

O filme tem um leve toque de Clube do Terror, Lendas Urbanas do Gugu e pode te lembrar produções como It e/ou Stranger Things, com protagonistas jovens que cativam principalmente pelas suas cargas dramáticas e suas emoções fáceis de assimilação e identificação. O mérito é do diretor Øvredal, que já havia feito um bom trabalho de suspense em A Autópsia. E se o filme pode pecar para algumas pessoas no terror, que é de um tipo mais fantasioso – apesar de não emular o tipo de fantasia de Del Toro, como já falei aqui -, é no suspense e na aventura que compensa. É que assim como Stranger Things, o terror parece às vezes apenas pano de fundo para se discutir outras questões, como a Guerra do Vietnã, e traçar questões sociais, com um retrato caricaturado do nosso processo de crescimento e amadurecimento durante principalmente a infância/adolescência.

A produção não peca em design, figurino, e tudo funciona bem, trazendo além de tudo uma sensação nostálgica que esse tipo de produção tem se apegado ultimamente. É um filme que cativa, emociona, assusta e que apesar da resolução final apenas medíocre, deixa um gostinho bom. Uma produção que vale a pena você assistir AGORA!

ALÉM DISSO, HOJE TEM ESTREIA!

Era uma Vez em… Hollywood marca o retorno de outro gênio do cinema: Tarantino. O longa se concentra “no final da década de 1960”, quando “Hollywood começa a se transformar e o astro de TV Rick Dalton e seu dublê Cliff Booth tentam acompanhar as mudanças.”

Eu nem assisti e já amei! O longa tem sido bastante elogiado por onde passa – mas isso não choca ninguém, pois Tarantino – e o trailer é maravilhoso. Corre assistir também – e me chama! -!

Share this Story
Carregar mais Posts Relacionados
Carregar Mais Por Paulo Rossi
Carregar Mais Em Cinema

Veja Também

O OUTRO LADO: Dois novos documentários sobre Michael Jackson contestam “Deixando Neverland”

IMAGEM | REPRODUÇÃO Este ano a HBO lançou ...

Sobre Paulo Rossi

Graduando em Jornalismo pela Universidade Federal do Cariri - UFCA. Amante, principalmente da 'dúvida'. Existencialista. Sonhador. Louco.

Assine nossa newsletter e receba nossas novidades por email

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível. Leia nossa política de privacidade.

Instagram

  • Bora produzir novidade?
#arrudeio #cariri #cultura #news
  • Sextou com aniversário aqui na redação!
Vamos celebrar com muita alegria o niver do nosso colunistas @eipaulorossi
Pedimos aos seguidores que deixem mensagens de felicitações para ele!
⠀
  • @anaruthof escolhida por @iza na #batalha e continua no @thevoicebrasil 
#cariri #thevoice #thevoicebrasil #timepesadao #timeiza #thevoicebr #reality #music
  • mulheres
que correm com os lobos
que voam contra os ventos
e vão de encontro à lua
essa vibração intensa
que desfaz qualquer crença 
que habita em cada uma de nós 
se permita sentir
se permita iluminar toda a cidade sendo única e exclusivamente, 
você mesma. - andreia
  • A lua toda linda no céu do Cariri!
#foobá
⠀
  • 31 poemas e 31 gravuras em homenagem a Carlos Drummond de Andrade feitas por Belchior na exposição, “Pinturas do Belchior” que está  à mostra na URCA durante a realização do II Seminário de Culturas e Literaturas Lusófonas do Cariri Cearense e ficará aberta ao público até 30 de agosto.
  • Tomando ruas, praças e escolas é que a Mostra de Teatro de Rua transforma as cidades do Cariri em palcos coloridos. De 12 a 27 de agosto 13 cidades da região receberão espetáculos de 4 grupos de diversas cidades do nordeste. As apresentações trazem música, circo, drama e ludicidade para o público
Saiba mais no nosso site. Link na Bio.
#teatro #cariri
  • Heavy Metal Online lança teaser do documentário “Fascismo no Heavy Metal”
Saiba mais no nosso site.
Link na Bio

Siga-nos!