Bolsonaro enviou para o Congresso PL que isenta militares de eventuais punições em casos de morte em serviço

O anúncio foi feito durante o lançamento da Aliança pelo Brasil, partido que o presidente desejar criar




Bolsonaro enviou para o Congresso PL que isenta militares de eventuais punições em casos de morte em serviço

Foto: Marcos Corrêa / Presidência da República/Divulgação

Como havia prometido durante a campanha eleitoral de 2018, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) enviou para o Congresso Nacional, nesta quinta-feira (21), o projeto de lei que amplia o conceito de excludente de ilicitude, previsto no artigo 23 do Código Penal. A mensagem enviada ao Legislativo isenta de punição militares e policiais que cometerem excessos durante operações de garantia da Lei e da Ordem. (GLO)

O projeto faz parte do pacote anticrime proposto pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro e já foi reprovado pela Câmara dos Deputados por nove votos a cinco.

As regras também abrangem integrantes da Força Nacional de Segurança Pública e membros da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal, da Polícia Ferroviária Federal, policiais civis, militares e bombeiros.

A edição extra do Diário Oficial da União, na tarde desta quinta-feira, publicou o despacho do presidente anunciando o encaminhamento do texto que “estabelece normas aplicáveis aos militares em operações de Garantia da Lei e da Ordem e aos integrantes dos órgãos a que se refere o caputdo Art. 144 da Constituição e da Força Nacional de Segurança Pública, quando em apoio a operações de Garantia da Lei e da Ordem”.

Excludente de ilicitude

O excludente de ilicitude está previsto no artigo 23 do Código Penal, que exclui a culpabilidade de condutas ilegais em determinadas circunstâncias.

Conforme esse artigo, “não há crime quando o agente pratica o fato:

  • Em estado de necessidade;
  • Em legítima defesa;
  • Em estrito cumprimento de dever legal ou no exercício regular de direito”.

O projeto na íntegra:

PROJETO DE LEI

Estabelece normas aplicáveis aos militares em operações de Garantia da Lei e da Ordem e aos integrantes dos órgãos a que se refere o caput do art. 144 da Constituição e da Força Nacional de Segurança Pública, quando em apoio a operações de Garantia da Lei e da Ordem.

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Art. 1º Esta Lei estabelece normas aplicáveis aos militares em operações de Garantia da Lei e da Ordem, nos termos do disposto na Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999.

Parágrafo único. O disposto nesta Lei aplica-se ainda aos integrantes dos órgãos a que se refere o caput do art. 144 da Constituição e da Força Nacional de Segurança Pública, quando prestarem apoio a operações de Garantia da Lei e da Ordem.

O parágrafo único diz: “O agente, em qualquer das hipóteses deste artigo, responderá pelo excesso doloso ou culposo.”

rt. 2º Em operações de Garantia da Lei e da Ordem, considera-se em legítima defesa o militar ou o agente que repele injusta agressão, atual ou iminente, a direito seu ou de outrem.

Parágrafo único. Considera-se injusta agressão, hipótese em que estará presumida a legítima defesa:

I – a prática ou a iminência da prática de:

a) ato de terrorismo nos termos do disposto na Lei nº 13.260, de 16 de março de 2016; ou

b) conduta capaz de gerar morte ou lesão corporal;

II – restringir a liberdade da vítima, mediante violência ou grave ameaça; ou

III – portar ou utilizar ostensivamente arma de fogo.

Art. 3º Em qualquer das hipóteses de exclusão da ilicitude previstos na legislação penal, o militar ou o agente responderá somente pelo excesso doloso e o juiz poderá, ainda, atenuar a pena.

Art. 4º Não é cabível a prisão em flagrante do agente que praticar o fato nas condições previstas no art. 2º desta Lei, no caput do art. 42 do Decreto-Lei nº 1.001, de 21 de outubro de 1969 – Código Penal Militar ou no caput do art. 23 do Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 – Código Penal.

§ 1º Sem prejuízo do disposto no caput, a autoridade militar ou policial instaurará o inquérito policial para apuração dos fatos.

§ 2º O inquérito concluído será remetido à autoridade judiciária competente, que abrirá vista ao Ministério Público.

§ 3º O Ministério Público, constatados indícios de excesso doloso ou da não incidência da excludente de ilicitude, poderá:

I – requisitar diligências adicionais; ou

II – oferecer, desde logo, a denúncia.

Art. 5º Verificada a existência de indício de excesso doloso ou a não incidência da excludente de ilicitude, a autoridade judiciária poderá determinar a prisão preventiva, desde que presentes os requisitos legais, mediante requerimento do Ministério Público ou representação da autoridade militar ou policial competente.

Art. 6º Se a autoridade judiciária verificar, pelo auto de prisão em flagrante, que o agente manifestamente praticou o fato nas condições previstas no art. 2º desta Lei, no caput do art. 42 do Decreto-Lei nº 1.001, de 1969 – Código Penal Militar ou no caput do art. 23 do Decreto-Lei nº 2.848, de 1940 – Código Penal, relaxará a prisão.

Art. 7º Os militares das Forças Armadas e os integrantes dos órgãos a que se refere o caput do art. 144 da Constituição e da Força Nacional de Segurança Pública que vierem a responder a inquérito policial ou a processo judicial em decorrência de atos praticados em operações e em ações de apoio a operações de Garantia da Lei e da Ordem serão representados pela Advocacia-Geral da União.

Art. 8º Aplica-se subsidiariamente:

I – o disposto no Decreto-Lei nº 1.001, de 1969 – Código Penal Militar e no Decreto-Lei nº 1.002, de 21 de outubro de 1969 – Código de Processo Penal Militar aos militares abrangidos por esta Lei; e

II – o disposto no Decreto-Lei nº 2.848, de 1940 – Código Penal e no Decreto-Lei nº 3.689, de 3 de outubro de 1941 – Código de Processo Penal aos agentes públicos abrangidos por esta Lei.

Art. 9º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.


Carregar mais Posts Relacionados
Carregar Mais Por Rayssa Leonel
Carregar Mais Em Notícias

Sobre Rayssa Leonel

Graduada em Jornalismo pela UFCA - Universidade Federal do Cariri. Pesquisadora e caririense bem orgulhosa.

Últimas

Assine nossa newsletter e receba nossas novidades por email

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível. Leia nossa política de privacidade.

Instagram

  • As inscrições para a prova  ocorrem de 11 a 22 de maio. Os candidatos poderão pedir a isenção da inscrição e justificar a ausência nas provas do ano passado no site do Inep entre os dias 6 e 17 de abril.

Saiba mais sobre a inscrição acessando o link na bio.

#fooba #brasil #inep #enem #inscricao
  • Enquanto a segunda parte da quarta temporada de Rick and Morty não estreia, o Adult Swim divulgou um curta inédito da animação. "Samurai & Shogun" leva os dois protagonistas ao Japão feudal e mostra uma batalha com muito sangue e portais. 
Confira o vídeo com legenda em inglês acessando o link na bio.

#rickandmorty #fooba #gironerd #gekk #cultura
  • Os projetos selecionados irão compor uma programação em plataformas digitais no período de abril a junho de 2020. Cada projeto irá receber  R$ 2.500,00. As inscrições são online e gratuitas e vão até o dia 10 de abril.

Saiba mais sobre o edital acessando o link na bio.

#fooba #cultura #festival #secult
  • A medida contemplará as famílias que consumirem até 100 quilowatts (kW) por mês. A lei deverá ser encaminhada à Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (AL-CE) para aprovações finais.

Saiba mais acessando o link na bio.

#coronavirus #ceara #saude #coronavirus
  • Scott Derrickson, diretor do primeiro filme do Doutor Estranho, usou suas redes sociais para pedir que as pessoas fiquem em casa com uma paródia ao clássico cartaz do Tio Sam.

Saiba mais acessando o link na bio.

#coronavirus #marvel #fooba #geek #gironerd
  • Bob Dylan surpreendeu o público no Twitter ao disponibilizar a primeira faixa dele em oito anos. “Murder Most Foul” é uma música de 17 minutos sobre o assassinato do presidente John F. Kennedy em 1963.

Ouça a música e saiba mais sobre ela no link na bio. 
#music #BobDylan #Dylan #lançamento
  • O texto do projeto prevê o pagamento para trabalhadores informais e  microempreendedores individuais (MEI). Poderão ser pagos até dois benefícios por família.

Saiba mais sobre o benefício acessando o link na bio. 
#fooba #brasil #coronavirus #politica #beneficio
  • Um dos jeitos de permanecer perto da arte e da cultura é acompanhando "Tudo em Casa". O  novo projeto do Sesc permite que a instituição continue nos oferecendo entretenimento e conhecimento.

Saiba mais sobre o festival acessando o link na bio.

#fooba #cultura #sesc #quarentena #coronavirus #musica

Siga-nos!