Com impostos sobre transações governo propõe cobrar alíquota de 0,4 para saques e depósitos em dinheiro

A cobrança faz parte da ideia do imposto sobre pagamentos, que é semelhante à antiga CPMF.

Com impostos sobre transações governo propõe cobrar alíquota de 0,4 para saques e depósitos em dinheiro

Foto reprodução

Em proposta de Reforma tributária lançada pelo governo  traz cobranças em saques e depósitos em dinheiro. A ideia é que agora as transações bancárias sejam taxadas com uma alíquota inicial de 0,4%. A cobrança integra a ideia do imposto sobre pagamentos, sendo comparada à antiga CPMF.

Para pagamentos no débito ou no crédito a taxação inicial proposta é de 0,2%.

As taxas propostas já irão surgir com a possibilidade de crescimento, segundo o Diário do Nordeste a ideia do governo é usar o novo imposto para substituir gradualmente a tributação sobre os salários, considerada pela equipe econômica como nociva para a geração de empregos no País.

Em informações concedidas a Diário do Nordeste  Marcelo de Sousa Silva, secretário especial adjunto da Receita Federal, defendeu a contribuição nesta terça-feira (10) no Fórum Nacional Tributário (promovido pelo sindicato dos auditores fiscais, em Brasília). O secretário afirmou ainda que “Estamos ano a ano com uma regressão percentual de pessoas empregadas formalmente. E isso não pode ficar de fora da reforma tributária, porque o impacto mais significativo [para o emprego] talvez seja a desoneração sobre folha. Dentre todos os tributos no nosso ordenamento jurídico a tributação sobre folha é o mais perverso para a geração de empregos”.

Impostos que beneficiam o governo   

As alíquotas, que estão junto à proposta de reforma tributária a ser entregue à Câmara, serão, inicialmente, de 0,2% para pagamentos no débito e crédito e de 0,4% para saques e depósitos em dinheiro. Especialistas em informações para o Diário do Nordeste, afirmaram que, o imposto só beneficia o próprio Governo.

O economista Henrique Marinho, para o Diário do Nordeste, aponta que o grande interesse em voltar com a “CPMF mudada” é a alta arrecadação gerada, uma vez que incide de forma imediata sobre qualquer transação. “Além disso, é um imposto muito difícil de sonegar que exibe baixa fiscalização, uma vez que é cobrado na hora”, destaca. Ele acrescenta que o imposto deve beneficiar somente o Governo.

Share this Story
Carregar mais Posts Relacionados
Carregar Mais Por iarameneses
Carregar Mais Em Economia

Sobre iarameneses

Últimas

Assine nossa newsletter e receba nossas novidades por email

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível. Leia nossa política de privacidade.

Instagram

  • Baseado na obra de Caio Fernando Abreu, o espetáculo faz temporada na Casa Ninho
#teatro #cariri
  • Os interessados em participar da Mostra Sesc de Culturas devem efetuar a inscrição apenas como Pessoa Jurídica (incluindo MEI)
#sesc #mostrasesccariri
  • Na assembleia foi deliberado ainda sobre o I Seminário do Programa do Território da Palavra, que acontece em fevereiro.
#cariri #cultura
  • Confira as reações dos flamenguistas diante do anúncio de Gabigol, no nosso site. Link na Bio
#gabigol #flamengo #diadofico #hojetemgoldogabigol
  • Diante do aumento do número de brasileiros apreendidos na fronteira, o governo Trump está avaliando medidas adicionais além das deportações
  • O  Tribunal Regional Federal da 3ª Região determinou que o Ministério  comprove que os erros no Enem 2019 já foram solucionados.
#enem #sisu #prouni #inep #educacao
  • Homenagens, pedidos de justiça e marcas que não se apagam. Sete anos da segunda maior tragédia no Brasil, em número de mortes, causada por incêndio.
#noticias
  • Todo dia tem gente diferente tentando emplacar um sucesso. Depois de nomeado hit do carnaval, a canção toca em todo canto do Brasil. Por isso todo mundo quer ter um sucesso na boca do povo e nas ruas das cidades.
Veja as apostas e confira nossa playlist link na Bio
#hitdecarnaval #carnaval #spotify

Siga-nos!