Graduando em jornalismo pela UFCA e um apaixonado por política, literatura e cinema
Atualmente o Governo Federal não governa, vive na busca de sua sobrevivência, almejando defender-se e evitar possíveis investigações e/ou impeachments. Hoje, Bolsonaro já não finge governar, tirou as máscaras e os tapumes que estavam postos
A gestão Duarte é a gestão do caos, nisso ela se alinha bem ao gestor federal. Regina quer replicar Bolsonaro, quer ser a senhora do caos, mas sem arcabouço para isso o que ela faz torna-se, em suas palavras, chilique.
O que se vê é um Estado que se envolve em dezenas de crises semanalmente, envolvimento que concentra esforços políticos indevidos
Moro não sai como herói, passa distante desta alcunha, sai porque está vendo o desmanchar seguido do governo, porque sabe que se seguisse estaria pondo fim em suas pretensões, sai porque sua vaga no STF estava tornando-se longínqua
Demonstrando desconhecer a Constituição que jurou defender, o mandatário nacional encontra-se perdido na narrativa que ele mesmo vem buscando costurar.
Luiz Henrique Mandetta preparou, gestou lentamente o momento de sair. Ele sai repleto argumentos para possíveis acusações que possam chegar, encontra respaldo para suas ações até em artigos recentes de seu sucessor na pasta
A briga que permeia o Ministério da Saúde e o Palácio do Planalto, neste momento, é uma briga antiga, infelizmente. Trata-se de um doloroso duelo entre a ciência e senso comum, entre a comprovação e o achismo
O jornalismo é exercício de liberdade, de questionamento, de incômodo. Não pode, em hipótese nenhuma, ser diminuindo e posto como fator desnecessário, especialmente quando o mundo vive um momento tão definidor
O pronunciamento de Bolsonaro é um atentado contra a sociedade. Sociedade esta que precisa se proteger. Ele age seguidamente com o aval da irresponsabilidade.
Bolsonaro descumpre as orientações de seus próprios auxiliares, o ministro da saúde, foi chamado atenção por, segundo alguns aliados do presidente, não estar com um discurso alinhado.